Como se tornar um corretor de imóveis?

0

Aqui no blog do Pro Corretor já fizemos artigos a respeito do que é necessário para ser um corretor, as qualidades, características, além de várias dicas para ajudar a ter melhor desempenho nos negócios, principalmente relacionado a marketing digital.

Mas hoje vamos abordar o básico do básico, um conteúdo para aqueles que querem ingressar na profissão de corretagem, mas não sabem por onde começar. Como ser corretor de imóveis autônomo?

Alguns podem pensar que basta apenas ser comunicativo, ser bom de negociação, ter uma boa rede de contatos e se apresentar a uma imobiliária. Claro que as qualidades acima são necessárias e apreciadas, mas não bastam. Porque é preciso uma formação específica.

É possível que encontre pessoas relatando que aprenderam tudo na prática ao receberem uma proposta de emprego direta para trabalhar na área, ou que receberam oportunidade de amigos ou parentes.

Mas tal prática é ilegal, pois a habilitação de corretor de imóveis existe no Brasil desde 1978. Sem essa habilitação não é possível obter, de forma legal, o certificado do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI).

Sem dúvida atuar na área sem a habilitação e certificação poderá causar problemas no futuro, além de prejudicar muito os negócios, pois é uma orientação básica para todos que estejam a procura de um imóvel verificarem se o corretor ou a corretora estão cadastrado no CRECI.

Pois o cadastro torna a negociação mais segura porque se o corretor agir de má fé, não for profissional poderá ser denunciado ao órgão e ter sua habilitação cassada. E evidente que nenhuma empresa ou profissional gostaria de passar por esse constrangimento, que seria péssimo para reputação de seus trabalhos.

Vamos explicar a seguir como ser corretor de imóveis autônomo.

Confira!

Como ser corretor de imóveis autônomo

Parte da informação de como ser corretor de imóveis autônomo já foi fornecida acima, você precisa de uma formação, um curso de habilitação para solicitar ao CRECI o certificado que lhe reconhece como profissional capacitado para exercer a profissão.

Há mais de uma opção de cursos preparatórios, o curso técnico, o curso tecnológico e o curso de bacharelado.

Sendo claro, basta escolher apenas uma das opções, não é necessário fazer os três.

O que difere em cada modalidade de curso é o aprofundamento de disciplinas e o tempo de duração, mas todos possibilitam que o formando se habilite e obtenha a certificação junto ao CRECI.

A seguir neste post de como ser corretor de imóveis autônomo vamos dá os detalhes de cada modalidade de curso para que decida qual melhor se encaixa nas suas pretensões.

Curso técnico

É um curso de nível médio reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e faz parte da área de Gestão e Negócios.

O curso prepara o aluno para transações de compra, venda e aluguel de imóveis, assim como a mexer na documentação necessária em cada tipo de situação. O curso técnico tem média de duração de 1 ano e pode ser feito em unidades de ensino como o SENAC.

Curso tecnológico

Essa modalidade de curso de habilitação de corretor de imóveis integra a área de Gestão Imobiliária ou de Negócios Imobiliários e é considerado um curso de nível superior, um curso tecnológico que tem duração um pouco menor do que o de bacharelado, de 2 a 3 anos. Assim como o do ensino médio é reconhecido pelo MEC, todos, aliás.

Esse curso ensina tudo do que é ensinado no técnico, mas aprofunda nas disciplinas que avaliam o mercado imobiliário como um todo.

É possível fazê-lo em algumas faculdades e universidades. Cabe pesquisa na sua cidade ou estado.

Curso de bacharelado

Sem dúvida neste post de como ser corretor de imóveis autônomo essa opção que apresentamos de curso é a mais completa.

Além de abordar todos os assuntos presentes nas modalidades anteriores também abrange temas como Psicologia, Sociologia e História. Também há ênfase acentuada em Gestão de Negócios.

Esse curso, ao contrário dos anteriores, tem que ser presencial, os outros encontra-se opções mais flexíveis, a distância, semipresencial ou presencial, mas o bacharelado requer a presença do aluno.

É um curso superior tradicional com duração de 4 anos.

Necessita também de pesquisa nas faculdades e universidades de sua região.

O certificado do CRECI

Mas depois de terminada a fase de estudos, a habilitação concedida pelo curso escolhido não torna o aluno apto para ser um profissional de corretagem, não lhe concede automaticamente o certificado do CRECI.

É obrigatório que compareça a um CRECI mais próximo de sua região. Existem unidades do Conselho em todos os estados do país.

Ao chegar na unidade, o procedimento é solicitar um Pedido de Inscrição de Pessoa Física.

A documentação pode variar de estado para estado, mas com certeza será solicitado seus documentos pessoais, o diploma do curso que se formou e o comprovante de pagamento da taxa expedida pelo CRECI.

Os dados serão analisados pelo Conselho que costuma levar em média de 30 a 60 dias para aprovar a emissão do registro.

Como ser corretor de imóveis autônomo após o certificado?

Depois de feito o procedimento para receber a carteira do CRECI com o número de identificação no órgão, você poderá exercer a profissão de corretor dentro dos parâmetros legais. Seja trabalhando como autônomo ou se filiando a uma imobiliária.

Na escolha de autônomo saiba que existe a opção de seguir a carreira como pessoa física e como pessoa jurídica.

Ou seja, não é obrigatório ter um CNPJ para fazer corretagem, o fundamental é ser registrado no CRECI. 

Também não há a necessidade de abrir empresa para emissão de notas fiscais, pois o corretor PF pode emitir sem problema.

No entanto, ter um CNPJ proporciona mais vantagens principalmente em termos de finanças, tributação, pois a alíquota do imposto do Simples Nacional é de cerca de 6% para pessoa jurídica enquanto o de pessoa física é de 40%, além de poder obter empréstimos com juros menores.

Gostou deste conteúdo sobre como ser corretor de imóveis autônomo?

Então curta, compartilhe, avalie.

Seu apoio é muito importante para nós.

Leia mais de nosso conteúdo.

Summary

Você também vai gostar de ler Mais artigos do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.